Fale conosco pelo WhatsApp

Balão intragástrico (BIG)

Estômago com balão intragástrico

O balão intragástrico (BIG), também conhecido por balão gástrico ou tratamento endoscópico da obesidade, é uma técnica que consiste na colocação de um balão inflável de silicone no interior do estômago. Ao ocupar determinado espaço dentro do órgão (cerca de 60%), ele promove uma sensação de plenitude e de saciedade precoce.

Isso ocorre porque a presença do balão intragástrico no estômago faz com que as células da parede gástrica alterem a produção natural de hormônios envolvidos na saciedade, avisando o cérebro que não há mais necessidade de comer. Isso, junto com uma alimentação regrada, mastigação efetiva e tempo para comer, faz com que o paciente consuma menos calorias, favorecendo a redução de peso.

Como funciona o tratamento com o balão intragástrico?

O tratamento com o balão intragástrico é temporário – ele fica inserido no estômago por um período de seis meses a um ano, a depender do tipo de balão escolhido. O BIG é colocado por via endoscópica. O paciente é sedado para que o médico possa introduzir um tubo flexível, que possui uma microcâmera na ponta – o endoscópio, pela boca até o estômago do paciente, para visualizar o interior do órgão.

Em seguida, o balão intragástrico introduzido. Logo após a sua inserção, o BIG é insuflado com cerca de 600 a 700 ml de soro fisiológico e um corante chamado azul de metileno. O objetivo do procedimento é reduzir a capacidade do estômago e a ingestão de alimentos. Esse volume pode ser modulado dependendo das características do paciente e sua anatomia interna. Trata-se de um procedimento simples, realizado com sedação em ambiente hospitalar. Não é um procedimento cirúrgico.

A colocação do balão intragástrico demora, em média, 20 minutos, e o paciente não necessita ficar internado, apenas deve repousar de duas a três horas na sala de recuperação antes de ter alta.

Antes de realizar o procedimento o paciente deve fazer um jejum de pelo menos oito horas para sólidos e 4 horas para água. Recomenda-se dieta mais leve, se possível líquida, no dia que antecede a colocação do balão intragástrico.

Para garantir o emagrecimento e os resultados, enquanto se usa o balão intragástrico o paciente deve seguir uma dieta orientada por um nutricionista, com poucas calorias e que deverá ser adaptada no primeiro mês após o procedimento.

Além disso, também é importante fazer um programa regular de exercício físico, que, junto com a dieta, deve ser mantido depois que o balão intragástrico for retirado, para evitar que o paciente volte a ganhar peso.

O paciente deve também contar com o apoio de um psicólogo sobre as mudanças que terá que fazer em sua rotina, principalmente em sua dieta, que passará a ser mais restritiva. É indicado o acompanhamento com esses especialistas durante todo o tratamento com o balão intragástrico.

Para quem é indicado o balão intragástrico?

Este tipo de procedimento é indicado para os seguintes casos:

  • Pacientes considerados superobesos (Índice de Massa Corporal acima de 50 kg/m2) com alto risco cirúrgico (diabetes, pressão alta, apneia do sono). O BIG é colocado antes de o paciente se submeter à cirurgia bariátrica;
  • Pacientes sem indicação cirúrgica (ou que não desejam operar) com IMC ≥ 27 kg/m2.

Não existe uma idade a partir da qual se pode colocar o balão intragástrico, no entanto, no caso das crianças, é aconselhado esperar o fim da fase de crescimento, uma vez que o grau de obesidade pode diminuir conforme a criança vai crescendo.

Como e quando o balão é removido?

A remoção do balão intragástrico é feita, geralmente, depois de seis meses a um ano após a sua colocação. O procedimento de retirada é semelhante ao da colocação, porém sob anestesia geral. Primeiro, o líquido contido no interior do BIG é aspirado para que, em seguida, o balão seja retirado através de endoscopia. Todo o procedimento é feito com o paciente dormindo. O balão intragástrico deve ser removido, pois o material com que ele é feito se degrada com a ação dos ácidos do estômago.

Para a retirada é necessário que o paciente faça uma dieta puramente líquida, sem qualquer resíduo, por pelo menos 48 horas antes do procedimento. É recomendado não ingerir vegetais de folhas por pelo menos uma semana antes da retirada do balão intragástrico.

Após a remoção, é possível, se necessário, colocar outro balão intragástrico no mesmo momento.

Vantagens do balão intragástrico

  • O procedimento é realizado em ambulatório, sem a necessidade de internação hospitalar;
  • Não é um procedimento cirúrgico, portanto, trata-se de uma técnica conservadora, sem necessidade de cortes;
  • É transitório e completamente reversível. O tratamento pode ser interrompido a qualquer momento se for desejo do paciente ou se houver necessidade;
  • Pode ser colocado mais de uma vez. Diferentemente da cirurgia, esse tratamento pode ser realizado mais de uma vez, quantas vezes for necessário;
  • A perda média de peso fica em torno de 15-20%;
  • É considerado um tratamento de baixo risco de complicações, ou seja, é bem seguro, desde que sejam respeitadas as condições clínicas do paciente.

Riscos do balão intragástrico

A colocação de balão intragástrico pode provocar náuseas, vômitos e dor na barriga durante os primeiros 10 dias, período em que o organismo se adapta à presença do balão.

Em casos mais raros, o BIG pode se romper e ir para o intestino, podendo provocar a sua obstrução. Nesse caso, pode provocar sintomas como: inchaço abdominal, obstipação e urina esverdeada. Quando isso ocorre, o balão intragástrico precisa ser retirado. Outras complicações incluem a hiperinsuflação (formação de gás no interior do dispositivo), impactação na região do antro gástrico, e formação de úlceras. Todas as complicações podem ser minimizadas desde que mantido contato direto com o médico responsável pelo tratamento, e seguidas as orientações de cuidado específico.

Quando o balão intragástrico é contraindicado

A colocação do balão intragástrico é contraindicada nos seguintes casos;

• Esofagite de refluxo intensa, hérnia hiatal, estenose ou divertículo de esôfago, lesões potencialmente hemorrágicas, como varizes e angiodisplasias;

• Cirurgia gástrica prévia;
• Doença inflamatória intestinal;
• Uso de anti-inflamatórios, anticoagulantes, álcool ou drogas;
• Transtornos psíquicos importantes.

Quanto custa colocar um balão intragástrico?

Os valores variam de acordo com o hospital escolhido e o número de profissionais envolvidos no tratamento. 

O uso do balão intragástrico facilita a realização de uma dieta mais restritiva e auxilia em uma perda considerável de peso. Porém, pacientes que optam pela colocação do balão sem o devido preparo e orientações podem não alcançar os resultados esperados.

Existem pacientes que colocam o balão e não emagrecem ou emagrecem pouco, justamente porque não aderem a novos hábitos de vida. Assim, é necessário que, após a retirada do balão intragástrico, seja realizada a manutenção do tratamento em avaliações e intervenções periódicas, para não haver reganho de peso.

A colocação do BIG deve ser feita por um profissional especializado e com experiência, além de ser realizada em um local seguro.

 

Fontes:

Clínica Gastroenterológica de Ribeirão Preto;

Revista da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica;

Ministério da Saúde;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

Marque agora o seu exame.
Ou preencha o formulário e em breve, entraremos em contato.
Mais informações: (16) 3636-3902

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Cuidar bem de você é nossa
principal especialidade

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO