Fale conosco pelo WhatsAppFale conosco pelo WhatsApp Ultrassom endoscópico: o que é, para que serve - Clínica Gastro RP

Blog

1 de setembro de 2021

O que é o ultrassom endoscópico?

Procedimento alia endoscopia à ultrassonografia, dura em média 30 minutos e pode ter função diagnóstica ou terapêutica

Médico realizando ultrassom endoscópico

Imagem: Shutterstock

O ultrassom endoscópico é predominantemente usado como exame complementar (ou seja, presta-se à realização de diagnósticos), mas também pode ser parte ativa de um tratamento. Neste segundo caso, o procedimento contribui para a cura ou controle de eventuais enfermidades, ou sintomas, assumindo caráter terapêutico.

O ultrassom endoscópico é, às vezes, chamado de ecoendoscopia alta, ou ecoendoscopia baixa. A denominação varia de acordo com o local a ser examinado e a via de inserção, que pode ser oral ou anal.

De forma sumária, o ultrassom endoscópico é uma avaliação ultrassonográfica do esôfago, do estômago e do duodeno, e/ou de estruturas adjacentes, através da introdução oral de um endoscópio dotado de um probe de ultrassom em sua extremidade.

A descrição acima corresponde à ecoendoscopia alta.

Caso, porém, o procedimento consista na colocação de um endoscópio dotado de probe de ultrassom por via anal, teremos uma ecoendoscopia baixa. Ela se prestará ao exame de outros órgãos que não os verificados pela modalidade alta do ultrassom endoscópico, como a região periretal, útero, próstata, septo retovaginal, entre outros.

Transdutor de ultrassom

O sensor que fica na extremidade do endoscópio é chamado, tecnicamente, de transdutor de ultrassom. Trata-se de um dispositivo que converte uma forma de energia (elétrica – motora) para outra forma de energia (sonora). Esta sua função o torna extremamente útil quando usado como um sensor. Um microfone, por exemplo, é um sensor sonoro — e um tipo de transdutor.

O ultrassom endoscópico une a eficácia da endoscopia digestiva à capacidade de realizar imagens ultrassonográficas com maior detalhamento e poder de visualização do que as apresentadas pela ultrassonografia convencional, especialmente em órgãos internos que ficam distantes da parede abdominal, como pâncreas e via biliar, por exemplo.

O ultrassom endoscópico é realizado sob sedação, tal como em uma endoscopia convencional. Ele permite, caso sejam necessárias, a realização de biópsias de estruturas (órgãos) do corpo humano, visando a análise histológica de eventuais lesões.

Ultrassonografia endoscópica: para quais casos é indicada?

Quando o objetivo do ultrassom endoscópico é a detecção de um problema de saúde, o procedimento é aconselhado nos seguintes casos (entre outros):

  • Descoberta e estadiamento (determinação da localização e da extensão de cânceres) de tumores do esôfago, estômago, duodeno, pâncreas, vias biliares;
  • Procura por microcálculos na vesícula biliar, por exemplo, que não tenham sido identificados via ultrassonografia convencional;
  • Estudo de lesões císticas situadas no pâncreas;
  • Estudo de lesões subepiteliais do esôfago, estômago e duodeno;
  • Avaliação de endometriose intestinal.

O ultrassom endoscópico possui ainda, conforme comentado, funções terapêuticas e curativas, além das diagnósticas. Em tais casos, as oportunidades de emprego da técnica são muitas e incluem:

  • Auxiliar a drenagem das vias biliares e de pseudocistos;
  • Levar adiante o tratamento de alguma dor de origem oncológica (ou seja, ocasionada por câncer), com a ablação (destruição via emissão de radioenergia) de eventuais tumores ou alcoolização (destruição) de inervações que levam à dor crônica;
  • Realizar uma punção no organismo (o que pode significar, por exemplo, a introdução via ultrassom endoscópico de uma agulha em uma lesão).

As qualidades da ecoendoscopia alta e da ecoendoscopia baixa, as duas denominações do ultrassom endoscópico, permitem afirmar que tal procedimento figura entre os mais úteis, em se tratando dos cuidados com a saúde de homens e mulheres portadores das doenças e condições acima mencionadas.

Ultrassom endoscópico: ação rápida e segura

O ultrassom endoscópico não é um procedimento especialmente complexo, mas demanda a excelência profissional por parte da equipe médica encarregada de tal tarefa.

O procedimento não gera dor, pois é realizado conjuntamente com uma sedação ou anestesia. Costuma durar 30 minutos, podendo chegar até 1 hora em casos terapêuticos.

Para os habitantes do interior paulista, e mesmo para moradores da capital do Estado e de outros Estados, é na cidade de Ribeirão Preto que se situa uma instituição de excelência na realização deste e de outras intervenções que envolvam o aparelho gastrointestinal: a Clínica Gastro de Ribeirão Preto, fundada em 1975 pelos doutores Celso Junqueira Barros e José Eduardo Brunaldi. Entre em contato e descubra os principais exames realizados!

Fontes:

Clínica Gastro RP.

Blog